Naomi & Ely e a Lista do Não Beijo

Naomi ♥ Ely, e ela é meio que apaixonada por ele.

Ely ♥ Naomi, mas ele meio que prefere garotos.

Não é fácil. As coisas que realmente importam não são fáceis. Os sentimentos de alegria são fáceis. A felicidade, não. Flertar é fácil. Amar, não. Dizer que é amigo de alguém é fácil. Ser amigo de verdade, não.

resenha naomi and ely e a lista do nao beijo Bruce, o Primeiro, é apaixonado por Naomi, que namora Bruce, o Segundo, mas é secretamente apaixonada por Ely, 0 melhor amigo gay.

Naomi e Ely são amigos inseparáveis desde pequenos. Por conta de uma confusão causada pelo pai de Naomi e uma das mães de Ely, os melhores amigos criam a Lista do não beijo, na qual colocam o nome de todos os garotos que eles não podem beijar, em hipótese nenhuma, para garantir que a amizade continue intacta. Tudo está indo bem, até que Ely beija Bruce, o Segundo, e a amizade que parecia perfeita começa a desmoronar.

A história do livro se baseia em como os dois vão se resolver. Enquanto isso, Naomi explora o tão temido mundo sem Ely, e ele descobre que precisa se esforçar mais do que considerava necessário para manter um relacionamento com alguém que ama.

A história confirma que, sim, uma amizade depende de confiança e lealdade, e quando falta uma dessas coisas a amizade pode ir por água abaixo, e que reconquistar a confiança de alguém é mais difícil do que conquistá-la pela primeira vez, mas não impossível.

Os autores, David Levithan e Rachel Cohn, são os mesmos de Nick e Norah: uma noite de amor e música. David também é autor de Will & Will: um nome, um destino, em parceria com John Green e Garoto encontra garoto. Rachel Cohn também é autora de Pão de Mel, Princesa Pop, e outros livros.

De fácil leitura, o livro tem 254 páginas, foi publicado pela Editora Galera Record em 2015, e prende o leitor do começo ao fim, e é bem difícil saber se eles vão se resolver ou não.

Eu particularmente gostei de todos os personagens principais, achei que todos foram bem construídos. A história foca mais na amizade entre os dois do que nos casos amorosos deles, vale a pena a leitura.

Espero que gostem e, se já leram, deixe suas opiniões nos comentários.

Beijos,

Mari ♥

Anúncios

Amy & Matthew

Amy tem uma deficiência que não a permite controlar seus movimentos, e Matthew tem uma doença que não o permite controlar seus pensamentos. Sempre estudaram na mesma escola, mas não era o que chamamos amigos, até que Matthew faz Amy enxergar a realidade de uma maneira diferente, e uma amizade sincera e verdadeira começa a florescer.

Tudo na vida é um desafio quando se trata dos dois, mas juntos despertam força um no outro. Força para encarar os problemas e seguir em frente.

Com o fim do Ensino Médio e uma perturbada noite de formatura, cada um segue seu caminho, e a relação dos dois se abala. Amy quer ir para a faculdade, mas será que ela consegue encarar sozinha? Matthew tem uma meta, claramente diferente da de Amy, mas ainda assim muito difícil de conquistar.

A autora, Cammie McGovern, conseguiu tratar duas pessoas deficientes (físicas e mentais) de uma maneira que não torna o livro depressivo, triste, nem nada do tipo, e não é um livro de romance como os outros. O livro é ótimo, leitura super recomendada. Só o que me incomodou foi o fato de a narração ser em 3ª pessoa, e torna o livro muito impessoal e não nos permite saber o que os personagens estão sentindo em alguns momentos.

Concluí que é possível amar alguém por razões inteiramente
altruístas, por todas as suas falhas e fraquezas, e ainda
assim não ter este amor correspondido. É triste, talvez,
mas não trágico, a menos que você fique buscando seus
afetos e esquivos para sempre.

-Amy

Beijos, Mari ♥

Cartas de Amor aos Mortos

Escrito por Ava Dellaira e publicado no Brasil em 2014, pela Companhia das Letras, Cartas de Amor aos Mortos é um daqueles livros que te faz encarar a realidade. 

A história começa de uma forma inocente, com Laurel indo para uma escola nova como qualquer outra adolescente. Sua professora de inglês passa uma tarefa simples: escrever uma carta para alguém que está morto, e Laurel leva a tarefa a serio de mais. Escreve a cada dia uma carta nova, mas nunca entrega nenhuma para a professora. A garota vê nas cartas um lugar para desabafar, já que sua irmã mais velha morrera a pouco tempo. Levamos o livro todo para descobrir como a morte ocorreu, pois Laurel se sente culpada de mais para falar sobre o assunto. E, claro, no meio de toda a história Laurel conhece um garoto, Sky, e vocês terão que ler para descobrir o que acontece entre os dois! Só vou contar uma coisa: não é tudo um mar de rosas…

A leitura do livro te faz perceber que não, a morte de alguém querido não vai parar de doer! Mas você pode aprender a viver com isso e tentar uma chance de ser feliz, ou sofrer pra sempre. É um livro que deixa uma mensagem incrível, por trás da narrativa de uma garota que só está começando o Ensino Médio.

Não poderia começar com outro livro, super recomendo a leitura!

Beijos, Mari ♥